terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Is enough.

He said:
Trust me, I really love you and nothing can change that. We belong together and it will be like this forever.
And that words were enough to calm the storm that covered her head.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Mulher de Áries.

Sou de Áries e me identifiquei muito :)

"Mulher de Áries?! Hummm....
Não sei. Ainda não consegui decidir se estar apaixonado por uma dessas mulheres é muito bom ou muito ruim. Como sempre, deve ser os dois... O fato é que essas daqui vivem tão bem sem um homem que se torna até constrangedor (pro cara, claro). A sorte é que as arianas tem uma necessidade natural de ter alguém que elas admirem. Acho que nem é essa a palavra. Elas precisam suspirar, perder o fôlego por alguém. Não se empolgue: se não tiver nenhum homem capaz de responder a isso, bem, ela não sentirá tanta falta dele assim. Até porque o que quer que ele saiba fazer, ela faz mais e melhor.
A coisa aqui é uma briga de galo. É ego pra todo lado, masculino e feminino em par de igualdade. Dá até medo de ser cavalheiro com uma ariana.Elas são donas do pedaço, aquele arrasta quarteirão sabe? Tem controle total sobre tudo que diz respeito a ela. São as mais propensas dentre os signos a propor o casamento no lugar do homem. Assusta um pouquinho. Mas ela é a mulher mais mulher do zodíaco, é de se compreender. Ariana tem a ver com força. Nada nela é 'mais ou menos'.
Para que ela te ame, ela precisa que você a orgulhe. Ela exige que você seja o príncipe, vá lá que não tão encantado, mas capaz de inspirar nela seu sentimento próprio de compartilhar o que é dela, de ser gentil e fazer o que estiver ao alcance dela por você. As mulheres de Áries querem ser dominadas por um braço forte, ser pegada de jeito por alguém a altura de sua força. Entretanto, e é interessante perceber isso, a ariana vive um eterno conflito de estar no controle dominando e também de querer ser dominada (Meu Deus, como será o sexo? Fico pensando).
É aquela mulher que é bendita entre os homens. Sabe qual é? Que tem mais amigos homens do que o normal? Pois então. E aí com certeza vai bater aquele ciúme. E ela simplesmente não admite ataque de ciúmes perto dela. Muito embora ela seja uma mulher ex-tre-ma-men-te possessiva, dona das mais incabíveis crises de ciúme. Isso siginifica: "Pode confiar em mim, mas em você eu não confio mes-mo!"
Acho que é tudo uma questão de dever e recompensa. Por exemplo: se você liga inadvertidamente dizendo que vai demorar pra chegar na casa dela por causa disso e daquilo, não se dê nem ao trabalho de chegar alguma hora porque ela vai estar lhe esperando assim como uma panela de óleo quente espera um pastel cru. No entanto, se você está com ela, conversa e a escuta, será recompensado com toda a suavidade que, pasmem, existe aos montes dentro dela.
Arianas são assim, como a chama de um fogo. Se você souber cuidar bem e entender o que tem que fazer, então ela te aquece como uma lareira. Mas se você não lhe der atenção, uma hora apaga. Ou, o que é pior, incendeia.
todo cuidado é pouco."

Fonte: Humor no Face

MOSTRATEC

Terceiros lugares da MOSTRATEC. Nós, na área de engenharia elétrica :)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

the past and the future

Resuminho das ultimas semanas:

Apresentação do TC. Na foto os avaliadores Alcindo, André Lawisch e Bruno e o Orientador Anderson.

Depois da apresentação do TC. ACABOU!

Os eletrônicos da FEICIT!

Resuminho das próximas semanas:

MOSTRATEC!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Sentir

Sentou-se nos bancos em meio a tanta gente desinteressante e fútil. Deu graças por ter seus fones de ouvido e um ótimo playlist feito de músicas que seu amor havia lhe enviado.
Botou os fones e aumentou o volume até a ladainha se tornar imperceptível. Talvez tenha até exagerado um pouco. Mas música é algo sempre tão bom. Algo que sempre lhe trás inspiração. Trás a tona momentos passados maravilhosos, a faz sorrir, sentir.
Ela simplesmente esqueceu onde estava, esqueceu o mundo. Sentiu cada emoção sitada na música, sentiu cada sentimento, sentiu-se protegida. Mesmo ele estando tão longe e ela ali, sozinha.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Só tem mulher que pode

"Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Flores também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores, murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade. Respeite a natureza. Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia. Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo. É, meu amigo, se você acha que ter mulher custa caro demais, "vire gay." Só tem mulher quem pode!" [Luiz Fernando Veríssimo]

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Em baixo de chuva.

Dia cinza, nublado. Particularmente falando, dias assim são deprimentes.
Chove sem parar, como se fossem lágrimas de alguém que chora com desespero. A aula acaba, sexta-feira. Finalmente chega ao fim mais uma semana cheia. Caminho ignorando o frio e a chuva até o final do telhado. Paro. Analiso a situação... O que é maior? A preguiça de abrir a mochila e pegar o guarda-chuva ou a vontade de não me molhar e pegar frio depois? Resolvo pegar o guarda-chuva.
Enquanto abro a minha mochila e vasculho a minha bagunça, vejo um vulto ao meu lado. Não dou bola. Em seguida, ouço: "Quer carona?". Olho para o lado espantada pela pergunta. Não consigo ver seu rosto, que se esconde por baixo daquela jaqueta jeans surrada que supostamente deveria nos servir de abrigo. Digo que não, afinal, estou em busca do meu abrigo.
O vulto então se joga na chuva, em seguida vou eu. Ao me aproximar do próximo telhado percorro meus olhos pela multidão de transeuntes, que procura se abrigar da tempestade, procurando aquela alma caridosa. Não o vejo. Simplesmente sumiu. Jamais saberei quem era.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Nunca me canso.

"... este Henry que me ama no passado e no
futuro e deve me amar também agora, em algum tênue eco de um outro
tempo." - The Time Traveler's wife.


segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Your sex is on fire.

Hot as a fever. Rattling bones. I could just taste it. If it's not forever. If it's just tonight. Oh, it still the greatest.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Para recordar

Confesso que a maioria das coisa que escrevo aqui, as escrevo para esquecê-las. Então resolvi postar algumas imagens de momentos especiais que aconteceram durante esse ano, para que futuramente eu possa recordar. É bom dividir pensamentos tristes. Melhor ainda é dividir momentos de felicidade.

Porque é bom mudar. É bom redecorar. O exterior... o interior... o que for. E porque pequenos momentos podem sim ser melhores que grandes momentos.

Para lembrar que o mundo é bonito. Só depende do ponto de vista e dos olhos que o olham.

Turma no American Bowling. Porque a nossa turma nunca tinha sido uma turma de verdade até aí e porque eu nunca joguei um boliche tão mal jogado que nem neste dia.


Foto de uma pintura do Mai Bavoso no Paseo do Hotel Kollmann em Capão da Canoa. Para recordar das férias de verão de 2011 e porque passei bons momentos lá.

Porque cozinhar para e ao lado de quem se gosta é algo extremamente prazeroso.

Segundo show da Vera Loca que fui no Abbey. Para lembrar de nunca mais ficar embaixo da maldita caixa de som, para não ficar surda por uma semana. Para lembrar que Vera Loca de certa forma trouxe coisas felizes para a minha vida.

Para lembrar que a ATRÔpelando foi campeã no meu primeiro e no meu quarto ano na Liberato. E que ganhar depois de tanto esforço é bom demais.



sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Máquina

"Sabe, as máquinas nunca têm peças sobrando. Elas têm o número e o tipo exato de peças que precisam. Então, eu imagino que, se o mundo inteiro é uma grande máquina, eu devo estar aqui por algum motivo. E isso quer dizer que você também deve estar aqui por algum motivo."

A invenção de Hugo Cabret - Brian Selznick

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Felicidade

Por que momentos de felicidade são os que importam, ou os que deveriam importar. Porque um simples joguinho de truco com chá nesse frio de inverno rende boas risadas. Porque chegar em casa na quarta-feira e receber aquele abraço apaixonado te da forças pra encarar o resto da semana. Porque um almoço rápido nas quintas com um amigo é o suficiente pra matar a saudade...

Me comove

"Frágil – você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço."

"Não choro mais. Na verdade, nem sequer entendo porque digo mais, se não estou certo se alguma vez chorei. Acho que sim, um dia. Quando havia dor. Agora só resta uma coisa seca. Dentro, fora. Chorar por tudo que se perdeu, por tudo que apenas ameaçou e não chegou a ser, pelo que perdi de mim, pelo ontem morto, pelo hoje sujo, pelo amanhã que não existe, pelo muito que amei e não me amaram, pelo que tentei ser correto e não foram comigo. Meu coração sangra com uma dor que não consigo comunicar a ninguém, recuso todos os toques e ignoro todas tentativas de aproximação. Tenho vergonha de gritar que esta dor é só minha, de pedir que me deixem em paz e só com ela, como um cão com seu osso. A única magia que existe é estarmos vivos e não entendermos nada disso. A única magia que existe é a nossa incompreensão."

Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Adeus

Hoje sentei de costas no trem. Ao olhar para a rua senti que as coisas estavam indo pra longe de mim. Que tudo fugia. Fiquei triste.
Eu sempre soube que um dia o fim chegaria. Já cheguei a acreditar que as coisas eram pra sempre e quebrei a cara. Agora já aprendi a não me iludir, eu acho.
Mas definitivamente eu não estava preparada para me despedir agora. Não estava preparada para deixar as coisas irem embora. Não estava preparada para dizer adeus.
São coisas boas, que me fizeram feliz. Algumas já não fazem mais. Mas sei que vou sentir falta, mesmo assim. Coisas novas virão pra substituir as que estão indo. Coisas novas já estão vindo.
Tenho medo. Medo do desconhecido. Medo de novas decepções.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

E estou;

Eu preciso de forças... Essa semana tem sido tão cansativa, ou eu que ando cansada demais? E não é essa a questão que me apavora, e sim, que daqui pra frente, durante esse ano, a tendência é as coisas se tornarem mais cansativas e estressantes. Não sei como tantas pessoas já passaram por isso.
Só que nessa semana juntou tudo. Minha mãe não está em casa, basicamente estou por minha conta. Ficar de noite na escola, ir de manhã em outro dia. Práticas que se misturam na minha cabeça causando uma grande confusão de nomes, números, componentes. Nem sei mais o que é o que. TPM. Ninguém por perto pra me entender. Tudo o que as pessoas sabem me dizer é que no final do ano isso vai acabar, mas nenhuma delas se perguntou se é isso que eu realmente quero ouvir. Não tenho tempo pra fazer o que eu gosto. Não tenho vontade de fazer o que tenho que fazer. Então, em horários supostamente livres, em que eu deveria, ou fazer algo útil, ou me divertir, faço qualquer coisa diferente disso. Não quero me sentir culpada por me divertir e deixar as resposabilidades pra depois e não tenho vontade de fazer nada que possa me estressar. Tudo isso está afetando a minha linda pele. E pra ajudar, minha escova de cabelos quebrou!
Me sinto cansada, perdida, desamparada. E estou.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Globo de espelhos

E agora, toda vez que escuto Use Somebody, me lembro daquela noite, e a mais pura felicidade toma conta de mim…

A letra em si não trouxe nada em especial para aquele momento, mas a melodia original com aquele remix trouxe um ar de mistério, sedução.

Não resisti, tive que pegar na tua mão e te arrastar para o meio da pista de dança. Bem embaixo do globo de espelhos. Dançamos ali como se fossemos os únicos, como se ninguém mais importasse. Como se vergonha não existisse.

Foi um momento sublime, nossos corpos num mesmo balanço, num mesmo ritmo. Nossos braços entrelaçados e nossas bocas entre beijos e trechos daquela música, como se fossem juras de amor.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Vício

Meu mais novo (de novo) vício. Esmalte. Sim, a tempos atrás eu era super fissurada, maas minhas unhas retardadas desenvolveram uma espécie louca de alergia a esmaltes. O que? É, isso mesmo! Imagina a louca que deu em mim =x Mas graças ao meu querido dermatologista, estamos resolvendo o problema e meu vício está voltando. Portanto, seja bem vindo. :D

Estava dando umas pesquisadas pela rede, que vi um esmalte LINDO outro dia no Carrefour, só que não lembrava o nome. E como internet faz milagre... Cá está ele: Cigarrete, da Risqué. É lindo ou não é?

Esse eu quero!

Outro que, por influência do meu namorado, me chamou a atenção, foi o Arábia (um cinza claro). Também da Risqué.

Esse eu quero também!

Obs: As imagens foram tiradas da Web, já que, como estão no marcador "Coisas que eu quero", eu ainda não tenho, e não pude tirar as minhas próprias fotos.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Passou

Hoje encontrei um velha amiga. E percebi como as coisas mudaram. Como nós crescemos e evoluímos. Não somos mais aquelas garotinhas de ensino fundamental que acreditam em tudo que nos falam. Demos boas risadas ao lembrar dos velhos tempos e de "velhos amigos distantes que tentaram nos enganar".
Sinto e não sinto saudades daquela época. Éramos mais unidas, todas nós. Mas agora, apesar da distancia, é tudo tão bom, tudo tão mais maduro. Envelhecemos.

Duo

Não sei se você percebeu, mas eu percebi. Nós somos iguais. E quando eu falo “nós”, não me refiro a eu e você. E sim a eu e ela. É, ela mesma. Nossa letras são iguais, praticamente diria que quem escreveu aquele “eu te amo” fui eu, se não soubesse da verdade. Diria que em todas aquelas conversas gravadas no celular era eu quem lhe dizia tudo aquilo, aos sussurros, se não soubesse a verdade. Todos os defeitos, que você dizia odiar nela, enxergo em mim. E as poucas coisas das quais gostava, me esforço demais para lhe oferecer, assim como ela, aposto.

Já parou pra pensar que na verdade você não evoluiu? Sequer moveu um músculo do lugar? Pois é, isso tudo é uma farsa. E você finge que está tudo bem, quando na verdade apenas passou a “pegar” uma versão mais velha dela mesma, eu.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Devaneio

Nada pra fazer. Solidão. Silêncio.

Apenas fico ali, atirada na cama, de bruços, esperando que algo de bom aconteça. Fecho os olhos e começo a antecipar a felicidade. Me imagino no meio da pista de dança, dançando e arrasando, como a tempos não faço, com as minhas pseudo amigas.

Sei que depois vou me incomodar, sinto que você está a me vigiar, a me controlar. Mas apenas quero curtir, quero me divertir. Prometo que depois eu volto “ao normal”, ao seu normal, pois o meu é esse. Prometo que volto aquele estado de sempre, naquela rotina diária.

Só preciso desse tempo, sinto falta de quando eu vivia pra mim. Me arrumava pra mim. Me dedicava única e exclusivamente a mim. Eu gostava de me amar, me amar em primeiro lugar.

E de repente veio o silêncio. E em seguida a solidão. E não tinha nada que eu pudesse fazer. Apenas fiquei ali, deitada.

Game over

"Entenda que, se estivéssemos em um barco prestes a afundar, e eu esperasse que você fosse o herói, o príncipe encantado que veio no seu cavalo branco me salvar, nós dois morreríamos afogados. Às vezes é como se você nem estivesse aqui, como se nem existisse. Então, acostume-se a ser tratado assim."

quarta-feira, 30 de março de 2011

Vou comer que eu ganho mais

Porque mulher tem essa mania de se entupir de comida esperando que isso melhore o dia? Concordo que comer é um dos maiores prazeres da vida... Mas também está entre um dos sete pecados capitais.
Juro que tento manter minha boca fechada. Não por questão de estética, sei lá, já me desliguei disso faz um tempo. Sempre digo que vou fazer um regiminho mas nunca me dou o trabalho de começar.
Mas sabe, muitas vezes é bem mais interessante eu sair da frente desse computador, ir até a cozinha e preparar uma coisa bem gostosa pra mim comer e ser feliz, do que ficar aqui lendo tanto blábláblá, tanto mimimi.

terça-feira, 29 de março de 2011

Who cares?

Ele simplesmente a tratou com indiferença aquela noite. Estava cansado de correr atrás dela e ela nada. Pensou que talvez, se ela provasse do próprio veneno, perceberia que estava acabando com o que eles tinham.
Elas dizem que o mundo pode acabar, mas para os homens vai estar tudo sempre bem, tudo lindo. Mas ele sabe que isso não é verdade. A indiferença dela já vinha o afetando a tempos. E ele tentou de tudo. Fez surpresas. Ligava sempre. Sempre que ela não dava sinal, ele se preocupava. Ela agia como se não devesse satisfações. Como se a vida fosse só dela e não a dividisse com ele.
E agora, que ele a tratou com indiferença, tudo continua igual. Ela sequer percebeu, sequer se importou.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Monólogos

Não sei o que se passa pela tua cabeça agora, que dirá antes. Não sei, nem nunca saberei. Acho que diálogo não faz parte do teu vocabulário.
Tento me imaginar no teu lugar, me coloco na tua pele, perante toda essa situação. Vejo se tem algo te impedindo de se abrir comigo. Algo que eu faço que talvez possa te censurar. Mas não tem.
Te dou tanta abertura. Indago. E tudo o que eu consigo arrancar de ti são apenas palavras silábicas, quando na verdade queria uma conversa franca, aberta, sem ressentimentos. Diversas vezes, depois de um longo tempo, me vejo em meio a um monólogo.
Quem sabe no dia em que eu desistir, tu resolva abrir a boca.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Insuficiente

Te coisas que, por mais que a gente queira, não tem como esquecer, não tem como perdoar... Força de vontade é insuficiente!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Oi cara de boi (:


Só assim pra matar essa saudade mega louca que sinto de ti...

quarta-feira, 23 de março de 2011

Quem sabe...

Quais são as chances de, quem sabe, em algum outro universo paralelo por aí, eu estar morando na Rua Carioca, com uma irmã mais velha melhor amiga, dois pais lindos, juntos e felizes? Quais são as chances de que naquele verão a gente não tenha ido pra praia, e eu ainda ter aquele gatinho fofo das fotos? Gostaria de saber se nesse outro universo paralelo eu sou feliz, se tenho o meu namorado lindo, se quero ser Arquiteta. Se tenho a Belinha.
Talvez lá eu não tenha nada do que tenho aqui. Também, a gente não pode ter tudo que quer. Tem que fazer escolhas, abrir mão de certas coisas. E muitas dessas escolhas sequer dependeriam de mim.
Só gosto de imaginar como as coisas seriam...

E se?

E se uma gota d'água fosse o suficiente para fazer o oceano transbordar, afundando todo o seu mundo? Pense nisso...

terça-feira, 22 de março de 2011

Simplesmente

Sabe aquele medinho que tomava conta da minha barriga lá no inicio? Aquilo que me fazia hesitar ao tomar partido da minha opinião? Simplesmente desapareceu. Ou talvez não tenha sido simplesmente. Eu fui evoluindo e vendo que a coisa não é bem assim. Dizem que pra vida não existe ensaio. Mas e quem disse que ela é uma peça só? Durante o decorrer dela eu posso protagonizar quantos espetáculos eu quiser. Quando um acaba, um novo começa.

Marasmo

Tudo tão cheio de coisas. Coisas velhas, coisas novas. Umas tão usadas, surradas e amadas. Outras deixadas de lado, literalmente jogadas às traças. Tudo acumulado no meio de toda essa confusão. Super lotação. E, ao mesmo tempo, tudo tão vazio, tão frio, tão sem vida. Por mais que as cores sejam infinitas, enxergo tudo em preto e braco, escala de cinza.
Lá fora o ruído do mundo é ensurdecedor. Aqui, parece tudo tão silencioso, tão monótono. Vivo naquele marasmo. No fundo acho que já morri e nem percebi.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Inevitável;

Texto de 15/06/2010

Três coisas são certas, é impossível passar pela vida sem cometer um ou mais erros, sem pagar por eles e principalmente, sem sofrer.
Muitas coisas são incontroláveis, mas acredito que de todas elas, essas três são inevitáveis. A gente não escolhe, simplesmente faz. Segue o impulso, o primeiro pensamento, a primeira decisão, e se esquece de todo o resto. Comete um erro! (Mas quem nunca errou?) E então, você sofre e sofre e sofre, até conseguir se perdoar. E quando o perdão vem, você acha que está tudo bem, que pode seguir em frente sem olhar pra trás, se sente pronto pra viver sem um peso, ao qual você não aguentava mais carregar. Mas e o resto do mundo? Ele está pronto pra te perdoar? Ele acha que você merece o perdão? Não! Porém ele vai fingir que está tudo bem, que o passado é passado. De inicio você se sente feliz, aliviado. Com o passar do tempo, começa a perceber os olhares, os murmurios e todos aqueles dedos apontando para ti. A verdade é que o resto do mundo vai te julgar, como se ele jamais tivesse errado. E vai te culpar, te condenar! E a tua pena? Ah, a tua pena vai ser a pior de todas. A morte! Não morte carnal, daquelas com enterro e tals. Mas sim aquela morte lá dentro do peito. Aquele vazio, aquele dezânimo. E com o passar do tempo, você esquece que se perdoou. Você afunda cada vez mais, em um buraco sem fim.

Trecho 2

"Pensar em sexo o tempo todo significa que há algo errado comigo? É uma pergunta que me faço constantemente. Será que toda mulher só pensa em transar? É comum outras mulheres olharem para o pênis dos homens quando eles passam na rua? A maioria das mulheres pensa no possível desempenho sexual de todos os homens que conhece?
Eu não sei - gostaria de saber. Estou começando a achar que eu talvez seja uma aberração, pois tenho uma idéia fixa que pode me tornar diferente das outras mulheres."

Abby Lee (pseudônimo de Zoe Margolis) - A Garota que Só Pensava Naquilo: Confissões de uma sedutora

Comentário: Para sair da rotina, quebrar os tabus e alimentar a sua imaginação. E pra quem gostar da leitura, tem mais no blog girlwithaonetrackmind.blogspot.com

sexta-feira, 11 de março de 2011

Feliz 6 meses (:

Feliz seis meses pra nós, amor. Que nós continuemos sendo muito felizes. E que o nosso amor cresça ainda mais. Te amo demais. Obrigada por todos os momentos que passamos juntos, nos quais tu me fez muito feliz e realizada.
Beijos na boca do meu Gui lindo =*
E eu amo demais demais essa foto.
Minha vida *-*


quarta-feira, 9 de março de 2011

Saudade.



TE AMO PRA TODO O SEMPRE!

domingo, 6 de março de 2011

Trecho 1

"Não se fica de braços cruzados quando você ou um ente querido está sendo atacado. E não se age como o governo com suas "respostas-padrão" e toda aquela frescura. Se você é agredido, a compaixão e a piedade devem ser postas de lado. Você elimina o inimigo. Você barbariza. Os que zombavam dessa filosofia, achando-a desnecessariamente maquiavélica, geralmente acabavam causando destruição maior.
No fim, se você eliminar o mal pela raiz, menos sangue será derramado."

Harlan Coben - Não Conte A Ninguém

Comentário: Um ótimo romance policial de Harlan Coben adaptado para o cinema em 2006. Suas obras são caracterizadas por personagens misteriosos e uma advogada durona, conhecida como Hester Crimstein. Para quem gostar, recomendo Confie em mim, de mesmo autor.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Frustração

Vai dizer que isso nunca aconteceu com você...
Você espera por uma coisa, espera, espera, espera. Daí um dia você cansa de esperar e resolve cobrar. Daí quando você cobra, a pessoa diz "eu já ia fazer" ou então "estava pensando em fazer" ou ainda "tá tudo certo, só falta fazer". Ok né, fazer o que. Mas então um certo tempo passa e você se dá conta que aquilo que você tanto esperava ainda não veio. Frustração.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O que importa

O que me fortalece: A Belinha, pois quando eu estou com medo e percebo que ela é mais indefesa que eu, todo o meu medo desaparece e o meu único objetivo é protegê-la. Ouvir música, muita música, toda a música do mundo, ela me faz pensar, clareia a minha mente. Escrever, porque quando eu escrevo eu desabafo. Errar, porque quando eu erro, eu aprendo.

O que me faz feliz: Palavras doces e verdadeiras. Surpresas, porque todo dia precisa ter algo novo, ou tudo vira rotina. Saber que tem alguém no mundo que me ama. Amar esse alguém da mesma forma. Ver fotos antigas. Lembrar de momentos bons.

O que me faz sorrir: Amigos, os melhores. Um filme bom, daqueles que não são mais feitos hoje em dia. Casais velhinhos andando pela rua de mãos dadas, e, depois de tanto tempo, tão apaixonados. Um dia de sol bonito, com nuvens branquinhas e o céu bem azul. Um sorriso sincero.

Sentidos

Foi incrível. De um instante a outro eu tive todos os meus sentidos aguçados. Foi como se eu tivesse me transportado para aquela noite, quando a simplicidade se tornou pura felicidade. Pude sentir novamente o calor da tua presença. Pude sentir teus braços ao redor do meu corpo, me acolhendo, me protegendo.
Fechei os olhos e nos vi naquela mesma cama, vi o seu sorriso estampado na sua boca e o meu refletido no brilho dos teus olhos. Jurei ouvir novamente aquelas doces palavras sussurradas ao meu ouvido e senti um calafrio percorrendo o meu corpo, deixando-o completamente arrepiado.
Fiquei tonta ao sentir aquele cheiro. O cheiro do teu corpo, da tua pele, misturado ao meu. E percebi que a cada instante era como se você estivesse mais e mais perto de mim. As nossas respirações foram ficando cada vez mais ofegantes. Os nossos lábios se tocam e então eu pude sentir aquele gosto. O gosto do amor.
Adormeci, e mesmo sabendo que aquilo tudo não passavam de lembranças, eu sabia que apesar da distancia você estava comigo e em breve, ao meu lado. Ao acordar no outro dia, me senti renovada. E um dia qualquer nunca pareceu ser tão agradável.

Fachada

Um professor uma vez me disse que eu deveria ser mais forte e enfrentar os meus problemas. Ser forte, essa é a questão. Porque eu não consigo? Porque que quando eu tenho um pensamento, eu não consigo mantê-lo? Porque não sou forte o suficiente pra dizer não, e não voltar atrás? Não, é não, que droga. A partir do momento que eu não quero, não deveria ter algo que pudesse me fazer voltar atrás.

Eu reclamo que as pessoas ao meu redor não tem atitudes, quando na verdade eu não as tenho. Elas simplesmente só passam pela minha cabeça, mas o medo, o medo do amanhã, não me deixa seguir em frente.

Deveria ser forte também pra não deixar o passado significar, não deixar ele me atormentar, ou transformar o presente em algo insignificante e o futuro em algo incerto. O passado é simplesmente o passado, nada vai muda-lo. Mas com ele eu aprendi, com ele eu cresci e me tornei quem sou hoje, não deveria querer nega-lo ou qualquer outra coisa. Mas ele não deveria ter importância. Deveria ser apenas o passado. Já se foi.

Quando eu acho que estou me fortalecendo, evoluindo nesse quesito, eu levo um tombo daqueles, percebo que toda essa evolução era pura fachada, percebo que na verdade eu jamais serei forte, jamais vou resistir, viverei atrás de uma máscara, pra tentar me proteger. Mas aquele que conseguir me alcançar atrás dela, me terá em mãos. Será o meu dono e poderá me transformar no que quiser.

Eu quero ser forte, quero não precisar derramar uma só lágrima. Elas me tornam mais humana. Mas elas mostram o quão danificada eu sou, o quão vulnerável.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Gotas de cristal.

Nem parecia que minutos antes eles estavam morrendo de calor. A chuva era gelada, ventava demais. Um dia escaldante se transformara em uma tempestade.
Onde ele estava com a cabeça ao arranca-la de seu abrigo e leva-la, em seus braços, até aquele temporal? E onde ela estava com a cabeça por não lutar contra, e tentar se proteger?
A unica coisa que os aquecia eram eles mesmos, seus corpos colados, beijos, sorrisos e calafrios. Ficaram ali abraçados até que o vento abrandou e o sol se abriu.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Mundo imaginário;

O que posso falar, nada melhor do que viver no seu mundinho imaginário. *-* Lá nada pode te atingir, lá tudo é sempre colorido e nítido. Lá você constrói histórias, edita-as, recorta e cola. Replay quantas vezes quiser. Lá você pode viver aquele momento maravilhoso até não aguentar mais. E simplesmente deletar momentos que não quer lembrar.
Lá existe um closet cheio de sapatos a sua espera. Outro cheio de roupas. E quando se quer fugir, basta pegar o primeiro voo pra Paris e comprar! E depois quem sabe ir pra Barcelona e tomar um café no Els Quatre Gats, vai que ainda esbarra com a Vicky e com a Cristina bebendo um vinhosinho com Picasso.
É tão bom fingir que tudo está bem :)